Choque de realidade reduz verbas para aeroportos do interior

Lançado em 2012, o Programa de Aviação Regional ainda não cumpriu o que prometia: reformar ou construir 270 aeroportos do interior do Brasil.

O motivo principal, apontado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, foi o superdimensionamento da demanda por passageiros nas cidades contempladas e, consequentemente, dos investimentos previstos.

Com menos recursos em decorrência da crise econômica e do readequamento do orçamento da União, o programa foi reduzido. Agora, segundo o governo federal, está mais próximo da realidade do país.

A previsão anterior era de investimentos de R$ 408 milhões em 2017 nos aeroportos do interior. Essa cifra caiu para R$ 231,8 milhões. Para 2018, o orçamento previsto caiu pela metade do programa e alcança R$ 213 milhões.

“Não adianta fazer grandes investimentos em aeroportos sem demanda real. Vai gerar um custo operacional muito grande. Temos que fazer intervenções no curto prazo para atender agora. Ao passo que a economia crescer, a demanda crescer, aí a expectativa é incluir novos projetos no programa.”
Otto Luiz Burlier, diretor de Rodovias, Ferrovias, Hidrovias, Portos e Aeroportos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Choque de realidade

O ministério fala em “choque de realidade”. Ao invés de destinar grandes investimentos para os próximos 20 ou 30 anos, os recursos serão realocados para necessidades pontuais em um prazo menor. A prioridade fica com os aeroportos do interior com obras em andamento.

“Estamos em via de lançar um novo programa de investimentos, mais pé no chão, olhando para a restrição orçamentária, mas garantindo que sejam intervenções que tragam resultados no curto prazo, até 2018.”
Otto Luiz Burlier.

Audiência pública na Câmara dos Deputados discutiu Programa de Aviação Regional (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)
Audiência pública na Câmara dos Deputados discutiu Programa de Aviação Regional (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)

Gustavo Ribeiro
Fundador e editor-chefe do AviaçãoJor.

Leia também

Premiação da Copa do Mundo de 2018 na Rússia com ação da Qatar Airways (Foto: Divulgação/Qatar Airways)

Por que as aéreas do Oriente Médio investem pesado no futebol

Emirates, Eithad Airways e Qatar Airways usam competições e clubes para divulgarem suas marcas. Resultado em campo soma títulos nacionais e europeus
Mercado de turbolélices é dominado por ATR e Bombardier (Foto: Divulgação/ATR)

Por que a Embraer quer voltar a fabricar aviões turboélices?

Fabricante brasileira acredita que ATR e Bombardier oferecem aeronaves antigas e que pode mudar o jogo
Aeroporto de Guarulhos é a principal porta de saída do Brasil (Foto: Divulgação/GRU Airport)

Aéreas brasileiras crescem no mercado internacional

Novas rotas e reforço de frequências têm marcado 2017 para Avianca Brasil, Azul, Gol e Latam
Netflix tem parcerias com Aeromexico, Qantas e Virgin America (Foto: Divulgação/Virgin America)

Netflix quer ampliar oferta a bordo dos aviões

Empresa de entretenimento prepara lançamento de novo serviço, mais rápido e leve, voltado para aeronaves com wi-fi
error: O AviaçãoJor é uma agência de notícias e todo os conteúdos são protegidos por direitos autorais. Se você deseja reproduzir algum conteúdo, acesse o site da agência em http://www.aviacao.jor.br/agencia