Aéreas brasileiras crescem no mercado internacional

O mercado internacional tem sido o principal indicativo de recuperação das companhias aéreas brasileiras. Depois de um 2016 de retração e cortes na oferta para o exterior, a demanda voltou a crescer neste ano. Como resultado, rotas foram criadas, reforçadas e retomadas.

Essa recuperação fica nítida nos dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A demanda de janeiro a setembro de 2017 aumentou 13,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Já a oferta cresceu 10,9%.

Nos primeiros nove meses do ano, as companhias aéreas brasileiras transportaram 6,19 milhões de passageiros pagos, representando um aumento de 11,8% na comparação com 2016.

Avianca Brasil, Azul e Latam – registraram variação positiva na oferta e na demanda.

A Gol, que reagiu mais tarde, tem números negativos no acumulado do ano, porém já apresenta crescimento nos últimos meses, focado principalmente no mercado da América do Sul.

Veja abaixo as principais mudanças na malha de rotas internacionais das companhias aéreas brasileiras:

Avianca Brasil

– Guarulhos-Miami (nova rota)
– Guarulhos-Santiago (nova rota)
– Salvador-Bogotá (nova rota)
– Guarulhos-Nova York (inicia em dezembro de 2017)

Azul

– Belém-Fort Lauderdale (nova rota)
– Belo Horizonte-Orlando (nova rota)
– Belo Horizonte-Buenos Aires (nova rota)
– Recife-Córdoba (inicia em 2018)
– Recife-Rosario (inicia em 2018)
– Recife-Fort Lauderdale (inicia em 2018)

Gol

– Salvador-Córdoba (nova rota)
– Rio de Janeiro-Santiago (nova rota)
– Belo Horizonte-Buenos Aires (nova rota)
– Manaus-Buenos Aires (nova rota)
– Porto Alegre-Montevidéu (inicia em dezembro de 2017)
– Aracaju-Buenos Aires (nova rota, com escala em Salvador)
– João Pessoa-Buenos Aires (nova rota, com escala em Maceió no retorno)

Latam

– Rio de Janeiro-Orlando (nova rota)
– Guarulhos-Lisboa (inicia em 2018)
– Guarulhos-Roma (inicia em 2018)
– Guarulhos-Boston (inicia em 2018)
– Guarulhos-Tel Aviv (inicia em 2018, com voo partindo de Santiago)
– Brasília-Punta Cana (inicia em 2018)

Gustavo Ribeiro
Fundador e editor-chefe do AviaçãoJor.

Leia também

Premiação da Copa do Mundo de 2018 na Rússia com ação da Qatar Airways (Foto: Divulgação/Qatar Airways)

Por que as aéreas do Oriente Médio investem pesado no futebol

Emirates, Eithad Airways e Qatar Airways usam competições e clubes para divulgarem suas marcas. Resultado em campo soma títulos nacionais e europeus
Mercado de turbolélices é dominado por ATR e Bombardier (Foto: Divulgação/ATR)

Por que a Embraer quer voltar a fabricar aviões turboélices?

Fabricante brasileira acredita que ATR e Bombardier oferecem aeronaves antigas e que pode mudar o jogo
Aeroporto de Guarulhos é a principal porta de saída do Brasil (Foto: Divulgação/GRU Airport)

Aéreas brasileiras crescem no mercado internacional

Novas rotas e reforço de frequências têm marcado 2017 para Avianca Brasil, Azul, Gol e Latam
Netflix tem parcerias com Aeromexico, Qantas e Virgin America (Foto: Divulgação/Virgin America)

Netflix quer ampliar oferta a bordo dos aviões

Empresa de entretenimento prepara lançamento de novo serviço, mais rápido e leve, voltado para aeronaves com wi-fi