Boeing 737-800 cargueiro é aposta de empresa de leasing

Com o Boeing 737 MAX 8 em operação comercial desde maio deste ano, a tendência é de que os atuais Boeing 737-800 sejam, aos poucos, convertidos para transportarem carga aérea.

Hoje, o mercado com capacidade para entre 20 e 25 toneladas é servido principalmente pelos Boeing 737-400, mais antigos e menos eficientes. Sem contar os tradicionais trimotores 727-200 que ainda estão em operação ao redor do mundo, inclusive no Brasil.

E o sinal de de que o Boeing 737-800 é o substituto ideal e natural foi dado pela GE Capital Aviation Services (Gecas), uma das maiores companhias de leasing de aviões do mundo.

A empresa anunciou que tem planos para converter mais 30 unidades do 737-800 para a função cargueira. Esses aviões se juntam a outros 25 já previstos para conversão, que será realizada pela Boeing e pela Aeronautical Engineers Inc (AEI).

“Nós acreditamos que o 737-800 cargueiro se tornará um importante avião para o mercado de carga aérea para entre 20 e 25 toneladas”
Richard Greener, vice-presidente e diretor de carga aérea da Gecas.

Clientes do Boeing 737-800

A carteira da Gecas conta hoje com 220 aeronaves 737-800, distribuídas por 25 países – no Brasil a Gol é cliente da empresa. Isso significa que pelo menos 25% das aeronaves da companhia serão convertidas.

A expectativa é que os primeiros 737-800 convertidos para carga aérea sejam entregues no início de 2018, para West Atlantic Group. A ASL Group também é cliente da aeronave na versão cargueira.

Gustavo Ribeiro
Fundador e editor-chefe do AviaçãoJor.

Leia também

Premiação da Copa do Mundo de 2018 na Rússia com ação da Qatar Airways (Foto: Divulgação/Qatar Airways)

Por que as aéreas do Oriente Médio investem pesado no futebol

Emirates, Eithad Airways e Qatar Airways usam competições e clubes para divulgarem suas marcas. Resultado em campo soma títulos nacionais e europeus
Mercado de turbolélices é dominado por ATR e Bombardier (Foto: Divulgação/ATR)

Por que a Embraer quer voltar a fabricar aviões turboélices?

Fabricante brasileira acredita que ATR e Bombardier oferecem aeronaves antigas e que pode mudar o jogo
Aeroporto de Guarulhos é a principal porta de saída do Brasil (Foto: Divulgação/GRU Airport)

Aéreas brasileiras crescem no mercado internacional

Novas rotas e reforço de frequências têm marcado 2017 para Avianca Brasil, Azul, Gol e Latam
Netflix tem parcerias com Aeromexico, Qantas e Virgin America (Foto: Divulgação/Virgin America)

Netflix quer ampliar oferta a bordo dos aviões

Empresa de entretenimento prepara lançamento de novo serviço, mais rápido e leve, voltado para aeronaves com wi-fi