Avião russo Irkut MC-21-300 ganha fôlego com novas vendas

Os dois primeiros dias do Salão Internacional de Aviação MAKS, em Moscou, foram positivos para a Irkut. Somente na terça-feira (18) e na quarta-feira (19), a empresa recebeu 19 encomendas firmes pelo MC-21-300, além de uma carta de intenção de compra para outras 15 unidades.

Desde junho de 2016, a fabricante não recebia encomendas pelo avião. Com o primeiro voo realizado no final de maio deste ano, a Irkut mostrou ao mercado que pode ser capaz de tornar a aeronave competitiva, menos que longe das gigantes Airbus e Boeing com seus A320neo e 737 MAX, respectivamente.

Na terça-feira, a russa Red Wings Airlines anunciou o arrendamento de 16 MC-21-300, que será feito pela Ilyushun Finance Company (IFC). As entregas estão previstas para ocorrerem entre 2019 e 2022 e a configuração interna será de 211 assentos.

“Somar 16 aviões MC-21 vai nos permitir reforçar nossa posição, oferecer um serviço de alta qualidade aos passageiros, expandir nossa malha aérea, aumentar nossa eficiência e preparar o terreno para crescer ainda mais.”
Eugene Klyucharev, CEO da Red Wings Airlines.

No mesmo dia, a VIM Airlines, também da Rússia, assinou uma carta de intenção com a IFC para outras 15 aeronaves, a serem entregues entre 2021 e 2024. Já nesta quarta-feira (19), a Angara Airlines anunciou a compra de três MC-21-300 diretamente com a Irkut.

Carteira de clientes do MC-21-300

Com as confirmações dessa semana, a Irkut ampliou sua carteira de clientes do MC-21, tanto da versão -200 como da -300, para 195 aeronaves, além de 88 opções.

Apesar dos anúncios, a fabricante ainda não conseguiu desbravar clientes em grandes mercados fora da Rússia. Por enquanto, somente empresas do Azerbaijão, Egito e Tailândia fizeram encomendas pelo avião.

A expectativa da Irkut, aliás, não é muito ambiciosa. A projeção é fabricar pouco mais de mil unidades da aeronave, o que serviria basicamente para atender o mercado russo pelos próximos 20 anos.

O projeto do MC-21 é muito mais voltado para a substituição dos antigos Tupolev Tu-154 e Yakovlev Yak-42 que ainda atendem às companhias aéreas da Rússia do que propriamente bater de frente com Airbus e Boeing, que travam um duelo particular.

MC-21-300 no Brasil

Com contratos firmes com Airbus e Boeing, as companhias aéreas brasileiras dificilmente olharão com atenção para o MC-21-300. Entretanto, o país pode ter uma participação na cadeia de produção do avião.

No ano passado, o Paraná anunciou uma parceria com a Irkut para a abertura de uma instalação em Maringá, no interior do estado, para fabricar peças para a aeronave. O entendimento avançou, até com presença da vice-governadora Cida Borghetti, no roll-out do avião no ano passado.

A baixa receptividade do mercado pelos MC-21-300, porém, fez com que a parceria ficasse em espera, como informou à reportagem a Agência Paraná de Desenvolvimento.

Gustavo Ribeiro
Fundador e editor-chefe do AviaçãoJor.

Leia também

Premiação da Copa do Mundo de 2018 na Rússia com ação da Qatar Airways (Foto: Divulgação/Qatar Airways)

Por que as aéreas do Oriente Médio investem pesado no futebol

Emirates, Eithad Airways e Qatar Airways usam competições e clubes para divulgarem suas marcas. Resultado em campo soma títulos nacionais e europeus
Mercado de turbolélices é dominado por ATR e Bombardier (Foto: Divulgação/ATR)

Por que a Embraer quer voltar a fabricar aviões turboélices?

Fabricante brasileira acredita que ATR e Bombardier oferecem aeronaves antigas e que pode mudar o jogo
Aeroporto de Guarulhos é a principal porta de saída do Brasil (Foto: Divulgação/GRU Airport)

Aéreas brasileiras crescem no mercado internacional

Novas rotas e reforço de frequências têm marcado 2017 para Avianca Brasil, Azul, Gol e Latam
Netflix tem parcerias com Aeromexico, Qantas e Virgin America (Foto: Divulgação/Virgin America)

Netflix quer ampliar oferta a bordo dos aviões

Empresa de entretenimento prepara lançamento de novo serviço, mais rápido e leve, voltado para aeronaves com wi-fi