United Airlines volta a cogitar aviões para 100 passageiros

Após descartar no início deste ano a adoção de aeronaves para 100 passageiros, a United Airlines comunicou os funcionários que o plano não está totalmente fora de questão.

Em janeiro, o presidente da companhia aérea americana, Scott Kirby, havia dito que esse segmento de aeronaves “simplesmente não funciona”. Na última sexta-feira (18), porém, o vice-presidente de Operações retomou o assunto em uma carta aos funcionários.

“Parece sim haver uma oportunidade para uma aeronave para cerca de 100 assentos para preencher uma lacuna na nossa rede, mas por outro lado os problemas com a complexidade de custos com um novo avião na frota são uma grande preocupação.”
Howard Attarian, vice-presidente de Operações da United Airlines.

A lacuna à qual o executivo se refere é entre o maior avião regional da empresa, o Embraer E175, e o menor da frota principal, o Boeing 737-700. O primeiro tem capacidade para 76 passageiros, enquanto o segundo acomoda 118 pessoas.

Os principais concorrentes, a American Airlines e a Delta Air Lines, contam com aeronaves para o segmento. A American tem 20 Embraer E190 para 99 passageiros. Já a Delta usa os Boeing 717-200 com 110 assentos.

Mesmo que não tenha dado certeza de que a United busca aeronaves para 100 passageiros, a carta deixa claro que o assunto não morreu internamente. Mais que isso, a empresa segue avaliando essa possibilidade.

“É nossa responsabilidade olhar para todas as opções e pesar todos os fatores associados antes de chegarmos a uma decisão, e é isso que estamos fazendo como parte do processo de análise da nossa frota.”
Howard Attarian.

A empresa tem um acordo com os pilotos que pode facilitar a entrada dessas aeronaves. Uma cláusula permite que a United acrescente até 70 novos aviões para até 76 passageiros à frota regional se adotar aeronaves para 100 passageiros na frota principal.

Embraer x Bombardier

Em 2014, a United já cogitava acrescentar aeronaves de 100 passageiros à sua frota principal. Na época, as duas opções que estavam sobre a mesa eram o Embraer E190-E2 e o Bombardier CS100.

O cenário não mudou desde então. Os dois aviões continuam sendo os mais prováveis em uma eventual encomenda da United.

O CS100, que será usado pela concorrente Delta Air Lines a partir de 2018, é um pouco maior. Na configuração em duas classes, transporta 110 passageiros. Já o avião brasileiro, na mesma configuração, conta com cerca de 97 assentos.

Embraer E190-E2 é uma das opções para a United Airlines (Foto: Divulgação/Embraer)
Embraer E190-E2 é uma das opções para a United Airlines (Foto: Divulgação/Embraer)

Gustavo Ribeiro
Fundador e editor-chefe do AviaçãoJor.

Leia também

Premiação da Copa do Mundo de 2018 na Rússia com ação da Qatar Airways (Foto: Divulgação/Qatar Airways)

Por que as aéreas do Oriente Médio investem pesado no futebol

Emirates, Eithad Airways e Qatar Airways usam competições e clubes para divulgarem suas marcas. Resultado em campo soma títulos nacionais e europeus
Mercado de turbolélices é dominado por ATR e Bombardier (Foto: Divulgação/ATR)

Por que a Embraer quer voltar a fabricar aviões turboélices?

Fabricante brasileira acredita que ATR e Bombardier oferecem aeronaves antigas e que pode mudar o jogo
Aeroporto de Guarulhos é a principal porta de saída do Brasil (Foto: Divulgação/GRU Airport)

Aéreas brasileiras crescem no mercado internacional

Novas rotas e reforço de frequências têm marcado 2017 para Avianca Brasil, Azul, Gol e Latam
Netflix tem parcerias com Aeromexico, Qantas e Virgin America (Foto: Divulgação/Virgin America)

Netflix quer ampliar oferta a bordo dos aviões

Empresa de entretenimento prepara lançamento de novo serviço, mais rápido e leve, voltado para aeronaves com wi-fi
error: O AviaçãoJor é uma agência de notícias e todo os conteúdos são protegidos por direitos autorais. Se você deseja reproduzir algum conteúdo, acesse o site da agência em http://www.aviacao.jor.br/agencia